Jornal da Praceta

Informação sobre a freguesia de Alvalade

(Alvalade, Campo Grande e São João de Brito )

 

  Restauração, Comércio e Serviços

Os melhores Restaurantes

A Nossa Selecção

Dom Rodrigo, Avenida Dom Rodrigo da Cunha

 

Biarritz, Largo Feitor Pinto

Os melhores Cafés

A Nossa Selecção

Os melhores bares

A Nossa Selecção

 

Sem Nome ?

Lisboa vai-se enchendo de lojas que pelo seu aspecto abarracado, nem sequer merecem tal nome. Funcionam 365 dias por ano. Ninguém consegue perceber o horário de abertura ou de fecho. O que está afixado é meramente indicativo. Vendem o que der dinheiro, incluindo bebidas alcoólicas não importa a quem. Em alguns casos, como é o caso, fazem "estranhas" exigências: "Não é autorizada a entrada de pessoas sem bilhete de identidade. Na entrada tens que deixar também a tua morada (caso exista algum distúrbio será divulgada na polícia". Estamos perante uma "sala de jogos" na Rua Afonso Lopes Vieira, 54A.  (Março 2017)

 

 

Lojas de Paquistaneses e Bangladexes

A abertura de lojas em Alvalade reflectem as vagas de imigração de Lisboa, uma cidade aberta ao mundo, cosmopolita.

Depois de 1974 e anos 80 abriram no bairro grande número de lojas de comerciantes indianos provenientes na sua maioria de Moçambique, dedicaram-se sobretudo ao ramo da papelaria, venda de jornais, moveis, aparelhos de uso doméstico, incluindo o seu arranjo. Os seus estabelecimentos nunca primaram pela decoração, o aspecto é quase de verdadeiros armazéns, onde os artigos são empilhados.    

Nos anos 90 começaram a chegar os "chineses" dedicando-se no inicio à restauração. Proliferaram por todo o bairros restaurantes de comida chinesa. As antigas lojas de peças chinesas de qualidade desapareceram. A maioria dos restaurantes chineses tiveram que fecharam portas quando se colocou a questão da falta de higiene com alguns laboravam. Entretanto difundiram-se as chamadas lojas do "300" (escudos) que estão hoje largamente difundidas por todo o bairro, embora várias deles tenham já fechado. Os comerciantes chineses nos últimos anos têm diversificado os seus ramos ramos de negócio em Alvalade. As lojas são na sua maioria meros armazéns de produtos de baixo custo e fraca qualidade. Mais

Depois de 2011 tem-se assistido à abertura de lojas de paquistaneses e bangladexes que ocupam espaços antigas drogarias, padarias, cafés e de outros estabelecimentos que entretanto encerraram as portas. Vendem um pouco de tudo, desde bebidas alcoólicas até hortaliças, sem grandes condições de higiene, nem preocupações de arranjo dos estabelecimento, a maioria nem sequer tem nome. Abrem e fecham a um ritmo estonteante. A sua grande vantagem para os consumidores, à semelhança das lojas dos "chineses" é o seu horário: se tiverem clientes está abertos 24 horas por dia, 365 dias durante o ano.  

Uma típica loja de bangladexes em Alvalade

 

 

 

Comércio Tradicional

Os mais antigos estabelecimentos da freguesia de Alvalade tem desaparecido, mas felizmente muitos e bons)continuam a resistir, como a Perfumaria Celta (1947), Boa Ideia (1951), Mariazinha, Drogaria Ribalta, Riviera, Cafélia, Carlos das Franjas, Os Courenses, Farmácia Cartaxo, Nova Lisboa e outros. Conheça o nosso roteiro. Mais 

 

 

Continente. Rua Acácio de Paiva, 22

Depois de mais um Pingo Doce,

chegou a vez do Continente se instalar em Alvalade

 

A actual freguesia de Alvalade conta desde o dia 10 de Outubro de 2013, com mais um supermercado, em plena Praça de Alvalade, no remodelado Centro Comercial de Alvalade. Desde o dia 21 de Março de 2014 conta também com um hipermercado Continente.

O assunto não merecia nenhum destaque especial não fosse a ameaça que constituem estas redes de supermercados para o comércio tradicional.

À semelhança do que aconteceu em outras áreas do bairro, sempre foram abertos supermercados, fecham logo a seguir vários estabelecimentos de comércio tradicional.

As ruas perdem vida, a insegurança aumenta, e todos se lamentam. O consumidor fica a ganhar (preços eventualmente mais baixos), mas o munícipe assiste à morte lenta da vida nos bairros e na cidade.

Opus Dei Encerra Quebra Bilhas

Lisboa continua de luto. Depois da destruição da casa de Almeida Garret, chegou a vez de fechar as portas um dos espaços mais simbólicos da cidade - o antigo Retiro Quebra Bilhas no Campo Grande. A lapidação do património tem prosseguido a bom ritmo, em 2007, as portas de madeira datadas do século XVIII foram substituídas por portas de alumínio. Ao que consta terão sido levadas para Espanha como troféus da Obra.  Mais

A "Dimensão" Fechou

Chegou ao Fim! Após uma longa agonia "Dimensão Design Center", o estabelecimento que durante décadas foi uma referência do design em Portugal encerrou as suas portas em Alvalade.

Durante décadas a "Dimensão" foi em Alvalade e no país, o espaço por excelência onde eram mostradas as últimas tendências do design internacional. A Dimensão não resistiu à falta de clientela em Alvalade, em grande parte devido ao envelhecimento da freguesia. Onde antes havia um espaço de inovação e modernidade surge agora uma agência funerária (Fevereiro de 2016). Na mesma altura encerrava as portas mais um estabelecimento emblemático do bairro: "o Sul América". Sinal dos tempos! 





 

 

Editorial

Entrada

História local
Guia do Lazer
Quiosque