Jornal da Praceta

Informação sobre a freguesia de Alvalade

(Alvalade, Campo Grande e São João de Brito )

 

Mobilidade Urbana

Mobilidade Sustentável, Bicicletas e Ciclovias em Alvalade

Uma profunda mudança está em curso em todas as cidades mais desenvolvidas do mundo: a mudança de paradigma nas deslocações urbanas. Na cidade de Lisboa, e em particular na freguesia de Alvalade a mudança começou finalmente a acontecer. Mais

As 18 Zonas de Alvalade Controladas pele EMEL

Em 2016 toda a área da freguesia de Alvalade passou a ser controlada pela EMEL, de 8 zonas passou para 18. A documentação foi posta à consulta pública. Em Setembro de 2017 entra em vigor. Consulte aqui as novas zonas da EMEL

Adro da Igreja do Campo Grande Vira Parque de Estacionamento Ilegal

Não faltam junto ou perto da Igreja do Campo Grande lugares de estacionamento em parques públicos, não apenas os exclusivos para residentes, mas também para todos os automobilistas. No parque da Confeiteiras, de segunda a sexta, o bilhete diário custa 3 euros. A sábado e domingo é gratuito o estacionamento. Apesar disto, ninguém está disposto a andar a pé, não raro a própria entrada da igreja e os passeios em redor estão bloqueados com automóveis.

A paróquia do Campo Grande entendeu que pode fazer do seu espaço o que quiser, incluindo transformá-lo num improvisado parque de estacionamento para que quiser deixar ali a sua viatura. Não é caso único na zona, o Museu da Cidade faz o mesmo, o Horto do Campo Grande idem. Exemplos não faltam, o que falta é quem imponha alguma disciplina neste caos.

Mudanças no Estacionamento e Mobilidade em Alvalade

No último ano na freguesia de Alvalade ocorreu uma enorme mudança no estacionamento e na mobilidade. A EMEL entrou em força na freguesia procurando disciplinar o estacionamento. A situação era caótica.

Em várias zonas foram estabelecidos áreas reservadas para residentes e outras para residentes e não-residentes. Fruto desta medida e da ação fiscalizadora da EMEL, na maioria das ruas, durante o dia, desapareceu o estacionamento nos passeios, um autêntico milagre !

Foram criados vários parques de estacionamento, e muitos outros podem ainda serem criados aproveitando locais ocupados por lixeiras nos logradouros públicos.

Muitos continuam a defender a situação anterior (estacionamento selvagem), mas a maioria mostra-se agradada com as mudanças.

Nada disto é todavia pacifico, pois como é sabido, os cerca de 350 mil condutores que todos os dias entram em Lisboa, gostariam de poderem estacionar onde quisessem, mas sem pagar, como continuam fazê-lo por toda a freguesia de Alvalade. Se estas entradas não forem reguladas, como já demonstramos, facilmente voltamos ao caos anterior.

 

Estacionamento selvagem na Rua das Murtas. Junto ao local existe um enorme parque de estacionamento, muito pouco utilizado, cuja tarifa diária é de 3 euros. Julho de 2017

 

 

Cinco Novos Parques de Estacionamento

 

Parque do Mercado de Alvalade

O parque já existia, mas servia apenas de apoio ao mercado norte de Alvalade. Era um claro desperdício.  A adaptação a parque público foi por isso consensual. Abriu em 2016.

 

 

Parque junto à Igreja do Campo Grande.

A abertura do ginásio nas antigas piscinas no Campo Grande está para breve, assim como o previsível aumento de automóveis na zona. Esta foi a principal razão que levou a CML a criar na zona novos lugares de estacionamento. As obras no entanto só começaram no dia 2 de Janeiro de 2017, e destinam-se a alargar a oferta de lugares de estacionamento junto à Igreja do Campo Grande, tendo sido cortado um metro na largura dos passeios.

 

Aproveitamento de lixeiras....

 

As lixeiras abundam pela freguesia de Alvalade e há décadas que muitos moradores defendem a sua limpeza e uma função mais útil para a comunidade. Numa operação de limpeza de três lixeiras, surgiram três novos parques de estacionamento:

 

- Parque das Confeiteiras

Tem uma capacidade de 248 lugares. O acesso faz-se pela Azinhaga das Murtas e pela Rua José Santa Camarão. O local a até à pouco tempo uma incrível lixeira junto a um bairro social. Mais

 

 

- Parque 1 da Rua Afonso Lopes Vieira (cruzamento com a Av. da Igreja). Lugares: 32

Após a limpeza uma profunda limpeza deste vasto logradouro, repleto de toneladas de lixo, surgiu um parque destinado a moradores com Dístico de Residente.  Mais

 

 

- Parque 2 da Rua Afonso Lopes Vieira - Rua Branca de Gonta Colaço (cruzamento com a Av. da Igreja). Lugares: 27. Hortas: 130 m2

 

Mesmo em frente do anterior parque, um outro vasto logradouro igualmente repleto de lixo, surgiu mais um novo parque de estacionamento para residentes munidos do respectivo Dístico.  Mais

 

 
 

 

Estação Intermodal do Campo Grande é um Perigo Público

Inaugurada em 1993, ao longo dos anos tem sido sujeita a contínuos actos vandalismo sobretudo em dias de futebol. As estruturas metálicas que ainda subsistem estão a desprenderem-se, colocando em perigo largos milhares de pessoas que todos os dias por aqui passam. 

 

O lixo acumulado nas placas da cobertura das paragens é tanto que algumas ostentam um verdadeiro matagal, contribuindo para a corrosão das estruturas metálicas. A maioria das placas metálicas da cobertura das paragem de autocarros desapareceram há muito tempo. Pedaços desta estrutura que se desprenderam,  segundo nos informaram lojistas locais, já fizeram algumas vítimas.

 

Por todo o lado abundam também poças de mijo, revelando a falta de respeito que a Câmara Municipal manifesta para com os munícipes, mas o mesmo podemos dizer do Metropolitano e dos vários operadores rodoviários locais.

 

Projecto de Renovação da Segunda Circular

A Assembleia Municipal de Lisboa, no passado dia 1/02/2016, promoveu no Hotel Roma um debate sobre este projecto que a Câmara pretende concretizar até 2017. Mais 

 

 

 

 

 

Universidade de Lisboa e as bicicletas

Observando o que se passa na freguesia de Alvalade, e em particular no Campo Grande, constata-se que os estudantes universitários de Lisboa estão completamentre arredados dos preocupações em torno do ambiente e da necessidade de praticar um mobilidade sustentável. Felizmente muitos são aqueles que possuem uma perspetiva mais universal e tomam iniciativas no sentido de inverterem a degradação do planeta. Mais

 

 
 

Zonas 30 km/h

Os peões são a maioria das vítimas de acidentes com automóveis na cidade de Lisboa. Muitas das vítimas foram atropeladas nas passadeiras para peões e até em cima dos passeios...

O bom senso recomendaria que se diminui-se a velocidade da circulação dos automóveis, em especial junto a zonas residenciais, com elevada atividade comercial, mas também junto a escolas e vias cicláveis. Em muitos países da União Europeia a medida mais consensual foi estabelecer nestas zonas o limite máximo de 30km/h.  A CML desde 2009 que tinha o projecto concluído, mas só em 2013 o começou a colocar em prática. Em 2014 chegou finalmente à Freguesia de Alvalade, mais concretamente aos bairros de S. Miguel e das Estacas.

Os trabalhos são, como é habitual, muito lentos. Prevê-se nestas zonas a criação de passadeiras sobre-elevadas, pistas antiderrapagem junto das escolas, para além de sinalização para reduzir a velocidade dos atuais 50km/h para os 30km/h pretendidos.  

É evidente que sem uma fiscalização adequada, estas medidas estão votadas ao fracasso.

 

 

Paragens de Autocarros: Um Perigo Público !

 

A zona as paragens de autocarros na Avenida do Brasil, junto ao Jardim do Campo Grande. Embora seja das mais movimentadas de Lisboa, espelha a falta de respeito que a CML tem para com os munícipes. O passeio foi cortado para menos de metade, como consequência desta decisão criminosa as pessoas são obrigadas a andar no meio da rua. Mais

 

 
 

 

Bombas de Gasolina junto a Habitações

Bomba de Gasolina. Av. da Igreja

 

Bomba de gasolina. Av. Rio de Janeiro

A freguesia de Alvalade é em Lisboa aquela onde se concentra o maior número de bombas de gasolina junto a habitações. Uma situação perigosa para o moradores e que tem suscitado ao longo dos anos contínuos protestos.

 

 

Três Boas Medidas:

1. Ciclovias. Trata-se da "obra" que marca o mandato de António Costa à frente da CML. Críticas: reduzido  alcance da medida, dado que não foram criados corredores para bicicletas nos principais eixos da cidade, nomeadamente entre o Campo Grande e o Terreiro do Paço. 

2. Zonas de Emissões Reduzidas. Os carros com matriculas anteriores a 1993, sem catalisadores, deixam de poder circular na Avenida da Liberdade e na Baixa (2011). 

Objectivo: Reduzir as emissões de gases e a poluição nestas zonas da cidade. Principal crítica: A medida é muito tímida e abrange apenas cerca de 100 automóveis, num universo de 700 mil que diariamente circulam na cidade.

3. Tarifários distintos. Todas as medidas para dissuadir a entrada e circulação de automóveis na cidade são (quase) sempre excelentes noticias. No centro da cidade o estacionamento está agora limitado a duas horas. Principal crítica: É muito limitado o serviço que a EMEL presta à cidade de Lisboa, em troca de andar a extorquir dinheiro pelo estacionamento. (Julho de 2011).

 

Crateras nos Passeios 

Não bastava os automóveis invadirem os passeios e expulsarem para a rua os transeuntes, eís que surge uma nova praga: as crateras nos passeios. Em muitas ruas as crateras já atingiram uma tal dimensão que se multiplicam as quedas de idosos e invisuais.  Entre as razões apontadas para explicar este fenómeno apontam-se as seguintes:

1. A destruição dos passeios provocada pelos automóveis, que se acentuou com a proliferação dos "jeeps";

2. O desleixe da CML ;

3.Calcetamentos mal feitos. Nada que uma eficaz fiscalização municipal não pudesse resolver.

 

.

Porta-a-Porta Alvalade | Lisboa
Novo transporte urbano gratuito

A partir do dia 4 de maio de 2015, o serviço de transporte urbano Porta-a-Porta chega às ruas de Alvalade.

Criado em 2004 pela Câmara Municipal de Lisboa, abrangendo algumas zonas da capital, o serviço Porta-a-Porta passou, com a reorganização administrativa, para a gestão das Juntas de Freguesia.

Alvalade inaugura assim o seu circuito Porta-a-Porta, um transporte urbano gratuito e de proximidade que visa:

·        Facilitar a mobilidade dentro da freguesia.

·        Suprimir limitações ao nível da oferta de transportes públicos.

·        Promover o acesso a serviços e equipamentos.

A sede da Junta de Freguesia de Alvalade é o ponto de partida e de chegada da carrinha Porta-a-Porta, que circula, devidamente identificada, por mais de 30 arruamentos de Alvalade, incluindo passagem por zonas comerciais, mercados de Alvalade, Jardim do Campo Grande, Teatro Maria Matos, Hospital de Santa Maria, Centro de Saúde de Alvalade, museus, bibliotecas, universidades, entre outros espaços centrais da freguesia.

Não existindo paragens fixas, a recolha ou largada de passageiros é feita em qualquer ponto do percurso, mediante indicação dada ao motorista. O horário das partidas, junto à sede – R. Conde de Arnoso, 5B -, é às 9h00 · 10h00 · 11h00 · 14h00 · 15h00 · 16h00, todos os dias úteis.

O Porta-a-Porta vem dar resposta à necessidade de muitos cidadãos de dispor de um transporte que seja mais próximo, mais flexível e mais cómodo.

Consultar mapa do percurso

 

 

Continuação

 

 

 
 

Entrada

História local
Guia do Lazer
Quiosque