Jornal da Praceta

Informação sobre a freguesia de Alvalade

(Alvalade, Campo Grande e São João de Brito )

 

  Anterior

Eleições Autárquicas de 2021

Estamos a preparar a mais ampla e completa informação sobre as eleições autárquicas de 2021 em Lisboa e na Freguesia de Alvalade.

Câmara Municipal de Lisboa

As eleições continuam a ser um monopólio dos partidos políticos, a participação nas eleições de cidadãos não enquadrados partidariamente continua a constituir uma excepção.

Partido Socialista. Fernando Medina volta a candidatar-se. Nas eleições de 2017 obteve 42% (106.0367 votos). Nestes últimos quatro anos a CML prosseguiu a politica de recuperação e limpeza de espaços públicos, em grande parte devido à influencia muito positiva do vereador José Sá Fernandes.

Análise do mandato (2017/2021): Aqui

PSD/CDS. Apresentam-se a estas eleições coligados, tendo como cabeça de lista um neoliberal - Carlos Moedas. Pouco ou nada disse sobre o seu programa para Lisboa: Prometeu fazer mais ciclovias e limitar o alojamento local onde ele já é excessivo. Nas eleições de 2017 estes partidos obtiveram uma percentagem de 31,81% (80.320 votos).

Moedas em maio veio à freguesia de Alvalade e sem nada conhecer da mesma fez uma volumosa promessa: a construção de silo para automóveis. José Ferreira, militante do PS e tesoureiro da atual junta veio a público demonstrar a falta de coerência do PSD. Na verdade, na Assembleia Municipal, com viotos contra do PSD, o PS acabara de ver chumbada a sua proposta para a construção de um parque de estacionamento no jardim público no Largo Frei Heitor Pinto (proposta 246/CM/2021, na 147ª. reunião, 18/05/2021). De forma inteligente Moedas falou do silo mas omitiu o lugar da sua construção. Não faltam locais aceitáveis, como o parque de estacionamento junto ao mercado de alvalade. José Ferreira andou muito mal ao apoiar a CML na triste ideia de destruir jardins públicos para a construção de parques de estacionamento. É bom que se liberte das nefastas influências que recebeu na sua passagem pela famigerada e extinta Junta de Freguesia do Campo Grande.

Freguesia de Alvalade

Ainda falta muito tempo para as eleições agendas para Setembro-Outubro, no entanto a propaganda eleitoral já começou. A redação dos jornais passou a ser inundada de e-mails com o curriculo dos candidatos. Os autarcas em exercício esforçam-se por se mostrarem em Alvalade. Na revista da Junta nº22 (Fevereiro 2021) a fotografia do atual presidente aparece 10 (dez) vezes! O presidente da assembleia de freguesia tem direito a duas páginas e uma fotografia. Até às eleições muita propaganda vai inundar as caixas de correio dos eleitores.

Os cidadãos continuam arredados da participação na vida da freguesia, raramente aparece alguém na assembleia da Junta. Nas eleições autárquicas em Alvalade o maior partido é os que não votam, ou votam em branco ou simplesmente anulam o voto com frases e desenhos muitas vezes obscenos. Desde 2001, a título de exemplo, o seu número oscilou entre um mínimo de 14.067 cidadãos em 2009 e 17.260 em 2013, para uma média de 32 mil eleitores inscritos. O que levou a tão grande indiferença dos cidadãos perante a vida da freguesia onde vivem ?. Um sistema democrático fechado ou excessivamente partidarizado?.

É significativo que os votantes sejam em maior número nas eleições para a câmara ou a assembleia municipal do que para a junta. O orgão autárquico que lhes está mais próximo é visto com maior indiferença, ao ponto de muitos cidadãos nem sequer de darem ao trabalho de fazerem uma simples "cruzinha" no respetivo boletim de voto

Partido Socialista. José Borges, o atual presidente da junta, apresenta-se pela primeira vez como cabeça de lista em Alvalade. A propaganda (e dinheiro) para o promover junto dos fregueses já assumiu proporções pornográficas.

Análise do mandato (2017/2021)

José Borges nas eleições de 2017 era o número dois da lista do PS. Após a saída de André Moz Caldas assumiu a presidencia da junta. Era um desconhecido dos fregueses e as primeiras impressões não foram positivas. Gerou-se a convicção que não teria capacidade para prosseguir as muitas obras de requalificação estavam em curso na freguesia que tinham sido lançadas no anterior mandato. A pandemia (2020/2021) não facilitou a tarefa da sua afirmação política. Mais

PSD /CDS. José Manuel Amaral Lopes é o candidato escolhido por encabeçar esta coligação de direita na freguesia de Alvalade. Antigo secretário de estado adjunto do ministro da cultura do governo de Durão Barroso (2002-2004), secretario de Estado dos Bens Culturais do Governo de Santa Lopes (2004-2005). Foi vereador da cultura na CML no tempo do famigerado Carmona Rodrigues (2005-2007), oara além outros cargos públicos irrelevantes. Em 2017, quando se preparava para concorrer à presidência junta, Pedro Passos Coelho substitui-o por João Pessoa e Costa. Este pouco depois traiu o oartido e bandeou-se para a "Aliança" do seu amigo Pedro Santana Lopes, deixando o PSD à deriva. Amaral Lopes tem agora a ingrata tarefa de credibilizar a participação do PSD na freguesia.

Análise da Oposição durante o mandato (2017/2021)

Quem tenha assistido aos discursos das oposições ao atual executivo da Junta de Freguesia de Alvalade (PS/PCP), após as eleições autárquicas de 1 de Outubo de 2017, só poderia ficar com a ideia que estavamos perante uma oposição musculada na assembleia de freguesia. O lider do CDS - Francisco Camacho - prometeu que a direita faria uma "guerra" à coligação de esquerda. O lider do PSD - João Pessoa e Costa - de forma mais moderada prometeu firmeza no combate. O Bloco de Esquerda, através de Afonso Moreira, prometeu uma vigilância sem concessões. Seis meses depois do ato de tomada de posse (19/10/2017), as oposições eclipsaram-se em Alvalade. Nada que já não tenha acontecido no passado. A Oposição, em geral, só acorda em períodos eleitorais depois de um longo período de hibernação. Mais

 

 

   
 
 

Entrada

História local
Cultura
Quiosque